A escuta é o novo abraço


Dizem que um abraço cura tudo. Mas, o que fazer diante de um cenário de afastamento social que impede o contato físico?


Em tempos tão desafiadores, somos convidados a nos reinventar e a lidar com emoções intensas como o medo, a raiva e a tristeza.


E no meio desse cenário, surge a necessidade de falar e ser ouvido.


Goethe, um filósofo alemão diz que "falar é uma necessidade, escutar é uma arte.”

Como temos acolhido as falas que chegam até nós? Será que conseguimos abrir espaço para ter uma escuta solidária?


De acordo com o psicólogo americano Marshall Rosenberg, criador da Comunicação Não-Violenta (CNV), um dos princípios da CNV é a empatia.

Empatia é abrir espaço. Não há necessidade de fazer nada. Requer apenas presença. E estar presente também é uma arte.


A CNV nos convida a criar conexões humanas mudando a forma de nos comunicarmos.

Ao invés de escutar para responder, o desafio é escutar para entender.

Em nossas relações, temos a tendência de interromper, questionar, julgar, aconselhar, e com isso perdemos a oportunidade de criar conexões.

Quantas vezes você só queria um abraço? Um abraço aconchegante, sincero e silencioso?

A escuta empática é exatamente isso.

Temos a oportunidade de transformar a escuta em abraços.


“Quando [ … ] alguém realmente o escuta sem julgá-lo , sem tentar assumir

a responsabilidade por você , sem tentar moldá - lo , é muito bom. [ … ].

Quando sinto que fui ouvido e escutado , consigo perceber meu mundo de

uma maneira nova e ir em frente. É espantoso como problemas que

parecem insolúveis se tornam solúveis quando alguém escuta. Como

confusões que parecem irremediáveis viram riachos relativamente claros

correndo, quando se é escutado ”. Carl Rogers


Vamos praticar?


5 passos para ter uma escuta solidária:


1) Esteja por inteiro na comunicação. Pare tudo o que você estiver fazendo e esteja presente. Escute com atenção plena;


2) Demonstre interesse. Se está sendo dito é porque é importante para alguém;


3) Liberte-se de julgamentos e avaliações. Cada um tem a sua história;


4) Não interrompa. Espere a pessoa terminar de falar.


5) Se conecte aos sentimentos que surgem durante a conversa. Observe como a fala da outra pessoa ressoa em você.


No final da conversa, se você sentir necessidade, você pode oferecer uma pergunta: O que eu posso fazer para tornar a sua vida melhor?


Vale ressaltar que nem sempre estaremos disponíveis para ter uma escuta solidária. E isso não é nenhum problema. Respeite-se em primeiro lugar. Tenha compaixão por si mesmo. Todos nós temos dias bons e ruins. Quando você perceber que não está presente na conversa, seja sincero. Exemplo: Maria, eu sei o quanto é importante para você termos essa conversa e para mim, é importante estar por inteiro, porém hoje eu estou muito cansado. Nós podemos conversar outro dia?


Outro princípio da CNV é a autenticidade. É expressar os seus sentimentos e necessidades conectados aos sentimentos e necessidades dos outros.


A Comunicação Não-Violenta transforma diariamente as minhas relações e eu espero que essas dicas sejam úteis para você.


Em 2021, o Instituto Evoluir vai oferecer diversas práticas relacionadas à CNV e eu estou muito feliz em fazer parte desse projeto.

Acompanhe a nossa programação nas redes sociais.

O Instituo Evoluir é referência em Desenvolvimento Humano Integral e há 30 anos transforma a vida de milhares de pessoas.


Saiba mais em www.institutoevoluir.com.br

Instagram https://www.instagram.com/institutoevoluir/

Telegram https://t.me/institutoevoluirtatuape


Michelle Rossetto

Facilitadora de processos de desenvolvimento humano no Instituto Evoluir.

michelle@institutoevoluir.com.br